Da possibilidade de um mau papa: um texto de Caetano sobre a oração

Não compete à Igreja mudar a forma de seu regime nem decidir do destino daquele que, uma vez validamente eleito, não é o seu Vigário, mas o Vigário de Cristo. Por isso, ele não possui nenhum recurso para seu Chefe, ou para depô-lo. Nasceu ela para obedecer. Pode talvez esta verdade parecer dura. Todavia os verdadeiros teólogos não a atenuaram. Pelo contrário, reforçaram-na. Para que tomássemos consciências de tudo o que se pode exigir de heroísmo e devemos estar prontos para sofrer pela Igreja, os teólogos apontam os casos extremos. Consideraram, primeiramente, um Papa escandalizando a Igreja pelos mais graves pecados; e o consideraram também incorrigível. Perguntaram então se a igreja poderia depô-lo. Responderam, não: porque não há pessoa na terra que possa tocar no Papa. Continuar lendo

Cruzada do Rosário – FSSPX

Em 16 de julho de 2016 o superior geral da Fraternidade Sacerdotal São Pio X, tendo enviado a Carta aos Amigos e Benfeitores N° 86, lembrou-nos da atualidade da mensagem de Nossa Senhora em Fátima. E nos convidou a preparar-nos durante este ano para este epocal acontecimento; a comemoração de uma mensagem que ainda não está terminada.

“Portanto, a fim de preparar o centenário das aparições de Fátima, decidimos lançar uma nova cruzada do Rosário, essa oração que o Imaculado Coração de Maria pediu tão insistentemente.

Para corresponder mais intimamente às intenções divinas e dada a insistência manifestada por Nossa Senhora sobre a necessidade de reparação pelos pecados, uniremos com coragem a nossos rosários muitos sacrifícios. Esperamos poder oferecer uma coroa de doze milhões de rosários e de cinquenta milhões de sacrifícios. Com todo o coração, queremos trabalhar para difundir a devoção ao Imaculado Coração, especialmente durante este tempo de oração e penitência. Esta é a primeira intenção da nossa cruzada, à qual também unimos o pedido filial do triunfo do Coração Imaculado e a Consagração da Rússia, tal como foi pedida por Nossa Senhora. E, finalmente, nos tempos difíceis em que vivemos, tanto no mundo como na Igreja, pedimos a nossa Mãe celeste uma proteção especial sobre a Fraternidade São Pio X, todas as suas obras e todas as congregações religiosas amigas.

Convidamos a todos, pelo amor à Mãe de Deus e a seu Coração Doloroso e Imaculado, a multiplicar esses atos, que nós próprios faremos, a praticar mais intensamente esta devoção e a difundi-la. Por esse motivo, propomos que consagrem, após uma preparação diligente, suas casas e suas obras ao Imaculado Coração, que pratiquem bem a devoção dos cinco primeiros sábados, que usem o escapulário de Nossa Senhora do Carmo e que difundam a medalha milagrosa dada pela Santíssima Virgem na rue du Bac, em Paris – medalha que retrata os dois corações de Jesus e Maria.”

Este cruzada será realizada do dia 15 de agosto de 2016 até 22 de agosto de 2017 e terá as mesmas intenções anunciadas pela Virgem Santíssima:

  1. Jesus quer estabelecer no mundo a devoção ao Imaculado Coração de Maria. Para que seja feita, todos os fiéis são convidados a:
  • Rezar todo os dias o terço, sozinho ou em família;
  • Realizar a devoção da Comunhão reparadora nos cinco primeiros sábados e multiplicar os sacrifícios diários em espirito de reparação pelos ultrajes cometidos contra Maria;
  • Levar consigo a Medalha Milagrosa e difundi-la;
  • Consagrar seus lares ao Coração Imaculado de Maria.

Além desta devoção, rezaremos também para (2.) Apressar o triunfo do Coração Imaculado, e (3.) para que seja realizada pelo papa e por todos os bispos do mundo católico a consagração da Rússia ao Coração Imaculado e Doloroso de Maria. A isso Adicionamos como intenção especial (4.) a proteção da Santíssima Virgem à Fraternidade São Pio X e todos os seus membros, bem como às comunidades religiosas da Tradição.

Dom Bernard Fellay fixa como objetivo um buquê de 12 milhões de rosários e 50 milhões de sacrifícios oferecidos a Nossa Senhora de Fátima.

Abaixo estará anexado um calendário para que possam anotar o número de terços e sacrifícios realizados durante os dias 15 e 31 de agosto. Posteriormente a Capela São Pio X disponibilizará outro e atualizarei o post com ele.

Os calendários com as anotações dos terços e sacrifícios realizados pela cruzada deverão ser entregues nas capelas da FSSPX; porém, aos que estão longe, podem enviar por e-mail. Se quiserem, me disponho a entregar aos padres. Ponham na folha o nome completo e contato (telefônico e/ou e-mail) para se necessário entrar em contato, ser possível encontra-lo.

contagem terços cruzada rosário 2contagem terços cruzada rosário 1

Jejum e abstinência – Código de Direito Canônico de 1917

Com o intuito de fazer penitência por nossos pecados, de melhor nos dispor para a oração e de estar unidos aos sofrimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo, a Santa Igreja nos pede, nos tempos de penitência, que ofereçamos jejum e abstinência a Deus.

O mundo moderno detesta a penitência e a mortificação, apregoando a necessidade de gozar-se a vida. Mas Cristo começou sua pregação com um convite à penitência: “Fazei penitência” (Mt. 3,2) e com uma advertência que é uma verdadeira ameaça: “Se não fizerdes penitência, todos perecereis” (Lc. 13,5).

Estas são as prescrições do Código de 1917, com menção da extensão do jejum e abstinência do Sábado Santo após o meio dia, que foi ordenada por Pio XII.

NOTA SOBRE AS INDULGÊNCIAS

“A indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto a culpa no sacramento da penitência, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, pela autoridade eclesiástica, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos, em forma de absolvição para os viventes, em forma de sufrágio para os defuntos” (cân. 911 – CDC 1917). Continuar lendo

Sejamos retratos de Deus

Não podemos viver profanando e manchando a imagem divina que trazemos em nossa alma. Continuar lendo

Breve catecismo do estado de necessidade

Segundo o trabalho do professor Georg May sobre o Estado de Necessidade na Igreja
Adaptado e aumentado por http://www.fsspx-brasil.com.br

Que é o que é o “estado de necessidade”?

Os Códigos (CIC 1917, Cânon 2.205, n. 2 e 3; NCIC 1983, Cânones 1323 n. 4 e 1324 n. 1 e 5) falam do estado de necessidade. No entanto, não explicitam o que se deve entender sob esse termo, deixam a precisão de sua significação para a jurisprudência e os doutores. Continuar lendo

A JURISDIÇÃO DE SUPLÊNCIA

A JURISDIÇÃO DE SUPLÊNCIA

Por Dom Bernard TISSIER DE MALLERAIS

INTRODUÇÃO do Sr. Padre SCOTT

O ESTADO DA QUESTÃO

Muitos têm perguntado como os padres tradicionais podem continuar a ministrar os Sacramentos, e especialmente ouvir confissões, quando eles tiveram as suas Licencias Sacramentais retiradas pelo ordinário local.

As considerações a seguir deverão ajudar-lhes a entender não apenas a injustiça da situação, mas, também, como estes padres estão claramente no direito de usar a jurisdição de suplência. É óbvio que a presente crise na Igreja não está prevista na Lei Canônica. Continuar lendo

“Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não se aproximará de ti”

Essa citação das escrituras, do Salmo 90, lembra-nos que falsos irmãos (aqueles à direita) são mais perigosos que inimigos declarados (aqueles à esquerda). Na guerra de guerrilha a qual o mundo tradicionalista teve de empreender contra as forças da apostasia, faz-se bastante compreensível, senão trágico, que se dêem divisões dentre as fileiras daqueles que ‘”mantêm a tradição de seus antepassados’’. No ardor do alvorecer da Igreja Católica, sob o sol de um magistério claro e de autoridades irrepreensíveis, fé e moral são indiscutíveis e bem delineadas, de modo que apenas os cegos e os coxos recusam-se a seguir o caminho da retidão. Continuar lendo

Os católicos devem assistir à Missa nova?

Muitos católicos se perguntam se devem assistir à Missa Nova, especialmente para cumprir a sua obrigação domingo.

Primeiramente precisamos evidenciar: 1) o que é Preceito Dominical e os seus limites e, em seguida, 2) por que os católicos não são obrigados a participar da Missa Nova e deve mesmo evitá-lo. Continuar lendo

Perguntas à consciência sacerdotal dos padres ditos “tradicionalistas” de Campos – Pe. Joël Danjou

Prega a palavra, insiste, quer agrade quer desagrade, repreende, adverte, exorta com toda a paciência e doutrina. Porque virá tempo em que os homens não suportarão a sã doutrina, mas multiplicarão para si mestres conforme os seus desejos, levados pela curiosidade de ouvir. E afastarão os seus ouvidos da verdade para os abrirem às fábulas.” São Paulo, apóstolo (II Tim 4, 2-4) Continuar lendo